Nem sempre vai dar certo

E tá tudo bem. Não existe uma obrigação para isso. Muito menos regras ou manuais de como fazer dar certo. Às vezes, por mais que você esteja disposto, por mais que haja reciprocidade e sintonia, simplesmente não dá. Não era para ser, o destino não quis. Em alguns casos, não há culpados ou vítimas, o fim é apenas inevitável.

Pode haver sofrimento, desilusão ou descrédito. Além disso, você pode querer justificar o fim com o jeito dele, com a briga x que vocês tiveram ou com as diferenças. No entanto, diferente de alguns términos, alguns não tem motivos evidentes. A relação simplesmente esfria, os desejos mudam, o tempo passa. É triste, mas é a realidade.

Ninguém espera um final feliz, mas todos esperam que não tenha fim. No entanto, não dá para saber se a missão será bem sucedida ou não. Mais do que isso, não dá para deixar de viver pensando no desfecho. Na tentativa de poupar-se do sofrimento, você acaba por evitar os começos. Não arrisca, não se joga, não se entrega.

Como se não bastasse, quando ainda decide arriscar, se sente na obrigação de fazer dar certo. Culpa-se quando algo não sai como o esperado. É claro que tem que haver disposição e força de vontade para fazer acontecer, mas em determinados momentos, por mais que você faça, nada muda. O resultado não depende apenas do seu esforço e dedicação.

Resta aceitar que nem sempre vai dar certo. E que esses finais infelizes são essenciais para que se tente novos inícios. De tanto tentar, uma hora vai dar certo. Talvez não para a vida inteira, mas o suficiente para dizer: dessa vez, deu muito certo, enquanto durou. Portanto, esqueça o destino de suas relações. A resposta só vai existir se você arriscar.

Você precisa deixar ir. Leia aqui.

Acho que você também gostaria de:

6 Comentários

  1. Ligia Tuffani says

    Isabela…seu texto está perfeito!

O que você achou disso?

Seu endereço de email não será revelado.